Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2004
Reivindicação
Em cada 100 euros que o patrão paga pela minha força de trabalho, o Estado, e muito bem, tira-me 20 euros para o IRS e 11 euros para a Segurança Social. O meu patrão, por cada 100 euros que paga pela minha força de trabalho, é obrigado a dar ao Estado, e muito bem, mais 23,75 euros para a Segurança Social. E por cada 100 euros de riqueza que eu produzo, o Estado, e muito bem, retira ao meu patrão outros 33 euros.

Cada vez que eu, no supermercado, gasto os 100 euros que o meu patrão me pagou, o Estado, e muito bem, fica com 19 euros para si.

Em resumo:

· Quando ganho 100 euros, o Estado fica quase com 55.
· Quando gasto 100 euros, o Estado, no mínimo, cobra 19.
· Quando lucro 100 euros, o Estado enriquece 33.
· Quando compro um carro, uma casa, herdo um quadro, registo os meus negócios ou peço uma certidão, o Estado, e muito bem, fica com quase metade das verbas envolvidas no caso.

· Eu pago e acho muito bem, portanto, exijo: um sistema de ensino que garanta cultura, civismo e futuro emprego para o meu filho. Serviços de saúde exemplares. Um hospital bem equipado a menos de 20 km de minha casa. Estradas largas, sem buracos e bem sinalizadas em todo o País. Auto-estradas sem portagens. Pontes que não caiam. Tribunais com capacidade para decidir processos em menos de um ano. Uma máquina fiscal que cobre igualitariamente os impostos.

· Eu pago, e por isso quero ter, quando lá chegar, a reforma garantida. E jardins públicos e espaços verdes bem tratados e seguros. Policia eficiente e equipada.

· Os monumentos do meu País bem conservados e abertos ao público. Uma orquestra sinfónica. Filmes criados em Portugal. E, no mínimo, que não haja um único caso de fome e de miséria nesta terra.

· Na pior das hipóteses, cada 300 euros em circulação em Portugal garantem ao Estado 100 euros de receita. Portanto Doutor Durão Barroso, governe-se com o dinheirinho que lhe dou porque eu quero e tenho direito a tudo!



O Português


publicado por sac3107 às 23:40
link do post | comentar | favorito
|

5 comentários:
De marker a 12 de Janeiro de 2004 às 23:11
Era bom era. Mas acontece que o dinheiro que o Estado arrecada, não é na sua maioria, utilizado bem o bem ou uso comum. Grande fatia é gasto para uso individual ou para beneficio de minorias: rendimento minimo, toxidependencia, habitação gratuita para quem não trabalha, prisões, subsidio de desemprego com possibilidade de 3 recusa de trabalho, baixas fraudulentas, empresas publicas que começam a dar lucro após privatização etc etc. Obviamente que não vai sobrar muito dinheiro para utilizar em áreas de uso comum: saude, educação, comunicação, ambiente, etc etc. O estado providencia é isso mesmo, tirar de quem trabalha para a maladragem.


De OLima a 12 de Janeiro de 2004 às 22:33
É sempre bom reler este texto.


De Paulo\bonecos de neve a 29 de Dezembro de 2003 às 19:21
Simplesmente Brilhante.


De P Ramos a 9 de Dezembro de 2003 às 17:23
Este seu cálculo do deve e haver com o estado é fantástico.Cada vez mais me convenço que aquilo que pagamos (os que pagam...)não correspondência com aquilo que recebemos.
Bem-haja.

http://oalquimista.blogs.sapo.pt/ (http://oalquimista.blogs.sapo.pt/)


De Ana a 8 de Dezembro de 2003 às 01:56
segundo Marx, isso é a mais valia...


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

...

Convenções para evitar a ...

Deduções e abatimentos no...

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS ­...

Lista de Programas de Fac...

Simulador de IRS 2011

Música céltica - moderna ...

Música céltica - moderna ...

Moedas pouco usuais

Moedas japonesas

arquivos

Abril 2012

Março 2012

Abril 2010

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Fevereiro 2007

Outubro 2006

Agosto 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds