Quarta-feira, 24 de Março de 2004
Receitas Fiscais de 2003 Financiaram Operação de Titularização do Citigroup
Por JOÃO RAMOS DE ALMEIDA
Quarta-feira, 24 de Março de 2004

As cobranças fiscais arrecadadas desde 1 de Outubro de 2003 serviram para financiar a parte da operação de titularização de dívidas fiscais e da Segurança Social aprovada em 2003, refere a nota da sociedade de rating Fitch distribuída anteontem. Esta indicação contraria as declarações do secretário de Estado do Orçamento no Parlamento sobre o mesmo assunto.

A nota refere que serão colocados nos mercados internacionais 1,663 mil milhões de euros, ou seja, um montante abaixo dos 1,765 mil milhões adiantados pelo Citigroup ao Estado português e que contribuíram para cumprir as metas orçamentais de 2003. Esse valor mais baixo resulta já da amortização feita com a cobrança fiscal verificada desde 1 de Outubro de 2003 e ainda de juros.

Por outro lado, a nota descreve a carteira - ontem publicada no PÚBLICO com erros, pelo que hoje se repete - como possuindo cerca de 70 por cento com a melhor classificação (AAA), fruto de uma avaliação mais prudente. Esse facto, segundo a própria Fitch, poderá não se traduzir numa taxa de remuneração mais barata para o Estado português do que a que teria se emitisse dívida pública (avaliada com AA), uma vez que se trata de uma operação anormal nos mercados, só conhecida em Itália e em moldes diferentes. "Será expectável que o custo médio da operação seja superior ao rating da República", afirmou ao PÚBLICO o director associado na área da Europa da Fitch, João Ferreira Marques. A nota adiantou ainda dados que o próprio Governo não facultara, como um conjunto de indemnizações e compensações, excepcionalmente a cargo do Estado português.

A nota levou inclusivamente grupos parlamentares a questionarem o Ministério das Finanças, designadamente sobre novos riscos. Francisco Louçã questionou "como se justifica a consignação de uma receita de impostos ao pagamento de uma dívida ao Citigroup". Por outro lado, tanto Francisco Louçã como Lino de Carvalho do PCP pediram explicações sobre a redução dos valores tanto dos títulos vendidos (1,663 mil milhões em vez dos 1,765 mil milhões), bem como das dívidas fiscais (de 10,95 mil milhões e não 11,44 mil milhões). Em terceiro lugar, Louçã perguntou se a possibilidade de recompra - nunca aventada pelo Governo e agora assumida pela Fitch - não "demonstra uma incerteza suplementar acerca da credibilidade dos créditos titularizados" e quanto se prevê vir a pagar por essa recompra.

Lino de Carvalho cita a Fitch para lembrar que, ao contrário do que foi afirmado pela ministra das Finanças, caso haja anulação das dívidas tituladas, o Estado português terá de substituí-las ou readquiri-las a um preço a definir e noutros casos ("amnesties, discounts, time extension" e "payments in kind and offsets") o Estado terá mesmo de compensar o Citigroup/Sagres por um valor que não está determinado". Ambos os deputados questionam a razão do silêncio da ministra sobre estas matérias e por que razão não remeteu todos os elementos prometidos e necessários para avaliar a operação.

No mesmo dia em que a Fitch divulgava a sua nota, outra sociedade de rating igualmente contratada pelo Estado, a Standard & Poor's, divulgava a sua. Essa sociedade sossegou os investidores que não haverá renovação das dívidas, que todas as receitas a cobrar pelo Estado serão usadas para pagar os títulos e que "não serão compradas dívidas adicionais". O Ministério das Finanças não comentou esta nota. Este aviso elogiou assim a liquidez dos títulos, mas alerta igualmente para o facto de o direito de Portugal de efectuar amnistias fiscais poder reduzir o valor da carteira, uma vez que o Estado "desiste dos juros quando ocorre uma amnistia". Mas salienta que há mecanismos para compensar os investidores.

este é o link
_______________________________________________________________
Rf3085: Mais notas para continuar a novela ....


publicado por sac3107 às 23:08
link do post | favorito
|

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

...

Convenções para evitar a ...

Deduções e abatimentos no...

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS ­...

Lista de Programas de Fac...

Simulador de IRS 2011

Música céltica - moderna ...

Música céltica - moderna ...

Moedas pouco usuais

Moedas japonesas

arquivos

Abril 2012

Março 2012

Abril 2010

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Fevereiro 2007

Outubro 2006

Agosto 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds