Terça-feira, 30 de Março de 2004
MAIORIA ESCAPA AO IRC
getimage5.jpg

A maioria (58%) das empresas portuguesas não pagou IRC em 2002 por apresentar, na maior parte dos casos, resultados negativos ou nulos. Esta situação, revelada pelo “Jornal de Negócios”, não é um espelho da crise, mas o perpetuar de uma tendência de fuga às responsabilidades fiscais.
d.r.

“(Nesta falsidade das declarações tributárias) podemos rever o país que funciona com permanentes expedientes e truques para fugir às mais básicas obrigações legais, sociais ou de cidadania (...) É quando olhamos para estes números que não podemos deixar de nos indignar com os protestos contra o remendo do Pagamento Especial por Conta”, escreve, em editorial, o director-adjunto do “Jornal de Negócios”, Paulo Ferreira. Este jornalista não hesita em concluir que “Portugal funciona como um verdadeiro paraíso fiscal”, argumentando que “não passa pela cabeça de ninguém que seja possível a sobrevivência de um tecido económico onde mais de metade das empresas diz que acumula prejuízos ao longo de anos sucessivos”.

De acordo com os dados pedidos pelo “Jornal de Negócios” ao Ministério das Finanças é isso, precisamente, o que se passa. Os números relativos à execução do IRC relativa ao ano de 2002, divulgados na edição desta segunda-feira daquele diário, mostram que, das 316 mil empresas que entregaram a respectiva declaração de rendimentos, apenas 42% pagaram IRC. É que deste universo apenas 51% das empresas apresentaram lucros, enquanto 37% apresentaram prejuízos e 12% resultados líquidos nulos.

O jornal salienta que estes prejuízos e resultados nulos não são um espelho de uma qualquer conjuntura de crise em 2002, referindo que também em 2000 e 2001 a percentagem de empresas com lucros não ultrapassou os 51%. Ainda assim, a liquidação positiva do IRC evoluiu de forma positiva nestes três anos, aumentando de 35% para 42%, mas ainda está aquém do que seria uma real tributação de resultados empresariais.

Os números revelados pelo “Jornal de Negócios” mostram ainda mais assimetrias na liquidação do IRC em 2002. Logo à partida, das 316 mil empresas que apresentaram declaração de rendimentos, apenas 133 mil tiveram lucros tributados, num total de 2.864 milhões de euros liquidados (menos 12,5% que em 2001). Metade deste total foi pago por apenas 300 empresas (0,1% do universo empresarial), ou, visto de outro ângulo, dois terços do IRC apurado resultaram da tributação de 1.330 empresas (0,4% do total). Foi ainda constatado que as empresas sediadas em Lisboa contribuíram em 56% para o IRC apurado.

Os dados revelam também uma assinalável quebra nos lucros empresariais em 2002. Nesse ano, as 161,8 mil empresas que fecharam o ano com contas positivas apresentaram lucros totais de 16,1 mil milhões de euros. Este valor representa uma quebra de 7% face a 2001... e de 36% face a 2000. Ou os mecanismos a que recorrem as empresas para ludibriar o Fisco se tornaram mais eficazes, ou, de facto, este será mesmo um sinal de crise.
Paulo Marcelino com Jornal de Negócios


publicado por sac3107 às 21:07
link do post | favorito
|

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

...

Convenções para evitar a ...

Deduções e abatimentos no...

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS ­...

Lista de Programas de Fac...

Simulador de IRS 2011

Música céltica - moderna ...

Música céltica - moderna ...

Moedas pouco usuais

Moedas japonesas

arquivos

Abril 2012

Março 2012

Abril 2010

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Fevereiro 2007

Outubro 2006

Agosto 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds